segunda-feira, 5 de maio de 2014

Mini imagine Harry Styles -- xxlet

Imagine Harry-




Sexta á noite, dia de balada, e eu estou aqui em um jogo de basket com minha melhor amiga, tudo bem eu AMO basket, mas seria bem melhor se ela parece de falar do "Harry Styles".
Eu odeio aquele garoto, e a julgar por nossas trocas de olhares ele também não gosta de mim.

 Moro em uma casa meio estranha por que é como se fosse um prédio sabe? De três andares. A maior parte é ocupada pela minha família, mas o último andar é desocupado, então minha avó, como proprietária aluga os dois apartamentos, lá de cima, pra ter uma grana extra no final do mês.

A minha avó, ela é a melhor pessoa que eu conheço. A mais bondosa e gentíl. Ela cozinha melhor que ninguém, é uma ótima conselheira e é avó. Na verdade, para mim, ela é uma mãe. Moro com meu pai e meu irmão Kyle, que é músico, dorminhoco e inútil. Mas é meu irmão.

Minha avó reformou o primeiro andar de nosso prédio, dividindo entre seu enorme quarto e um 'salão de entrada', onde todos do prédio almoçamos aos domingos e quando ela resolve fazer uma de suas especialidades.

Eu moro no segundo andar, o apartamento em frente ao meu é vago por enquanto, mas me lembro de minha avó comentar que logo teríamos um novo vizinho. O terceiro é alugada para a mãe da minha melhor amiga, e para uma senhora cuja sobrinha estuda em minha escola.Conhecida como 'Mandy, a rodada' E digamos que, por esse e outros, vários, motivos nós não nos damos bem.


Ignorando todos os fatos anteriores, vamos voltar a minha podre sexta-feira.

 Hoje era pra ser um bom dia... o último dia de aula, agora que finalmente me livrei de todos os meus falsos colegas de classe e esperava por umas férias satisfatórias, minha melhor amiga, Clayr, fez questão de me trazer a final do jogo do time de basket da nossa escola.  O que poderia ser divertido se ela  não estivesse se derretendo com o Styles e eu segurando vela.

A Clayr é loira, gostosa, e linda, merece coisa melhor do que o podre, Harry Styles, mas quem sou eu para dizer algo.

-- Você ta linda hoje, sábia? -- Ouvi Harry dizer no ouvido de Clayr. Há, Bufei e rolei os olhos, tirando  a pipoca do colo de Clayr, enchendo a mão e enfiando tudo na boca.

--  Aprende a ficar na sua (Seu nome)!-- Harry virou-se para mim.
-- Quando você para de jogar suas cantadas baratas pra cima da minha melhor amiga, eu aprendo a ficar na minha. -- respondi a ele que ficou com cara de taxo.
 Essa sou eu, trato as pessoas do mesmo jeito que elas me tratam.
-- Escuta aqui garota... -- o Harry ia continuar, mas eu enchi a mão de pipoca, novamente, e enfiei tudo em sua boca. Ele se engasgou e cuspiu a pipoca, enquanto eu ria como uma louca. A Clayr batia levemente nas costa dele, como se faz com um bebê, e olhava pra mim em sinal de reprovação, eu dei língua para ela e continuei a rir.
Harry desengasgou e veio até mim, chegando muito perto, o que fez com que eu apoiasse as duas mãos em seu peitoral, e que peitoral, ele inclinou a cabeça o máximo possível, fazendo com que eu sentisse sua respiração e quando ele falou pude sentir, seu hálito de menta. -- Vai ter troco. -- ele disse cerrando os olhos e afastando-se. Eu meio tonta, vesti meu maior sorriso cínico com ar de desprezo.

Ele fez sinal de negativo com a cabeça e virou-se descendo pra parte mais baixa da arquibancada, cai na cadeira devido ao novo ataque de risos que estava tendo, a Clayr também riu dessa vez, mas depois me repreendeu pelo que eu havia feito, eu nem dei ouvidos, não mandei se apaixonar pelo meu inimigo. Dei ombros e voltei a concentrar-me no jogo. Mas depois de um tempo, a Clayr me cutucou, e quando me virei ela me abraçou fortemente -- O que houve? -- eu perguntei, ela não respondeu. -- Heeey! o que houve? -- perguntei novamente apertando-a contra mim.
-- Você me acha feia? O que eu tenho de errado?--  Ela perguntou, segurando o choro, o que não fazia nenhum sentido para mim.
-- Quê foi, Clayr? O que houve. -- Eu a olhava atenta, procurando entender.
-- O Harry... -- foi só o que ela disse limpando uma lágrima que escapuliu de seus olhos avermelhados. Dizer o nome dele foi o bastante para que meu peito se enchesse de raiva e começasse a caçar os cachinhos de Harry por todo o ginásio, até achá-los em canto, se agarrando com outra garota, uma boa olhada e eu notara ser Mandy.
Ótimo, só o que me faltava. Revirei os olhos e voltei a encarar Clayr.

-- Clayr não fica assim. -- eu a olhava nos olhos, a raiva me consumia, ele a fez chorar. -- Você merece coisa melhor, você é linda, e ele um idiota. -- Ela apertou forte minha mão e me interrompeu.
-- Me leva pra casa (seu apelido). -- eu assenti e me levantei.


 Nossa casa não era muito longe, então não perdi tempo com taxi, Eu e Clayr fomos andando mesmo. Ela segurava as lágrimas, e fungava, sem dizer nenhuma palavra. Chegamos em casa e eu fui com ela direto para seu apartamento, nós ficamos conversando, ela chorava muito, eu pedi desculpas pois sabia que o Harry tinha feito aquilo por vingança, ele estava com raiva de mim, e a melhor maneira de me ferir, é ferindo meus amigos, ele soube disso e usou suas armas contra mim. Merda. Garoto esperto.

-- (Seu nome), você precisa saber de uma coisa...
-- Que foi? -- Ela me olhava sério, encerrando a sessão de choro e soluços,
-- A sua avó, ela alugou o apartamento em frente ao seu.
-- Eu sei Clayr, vi o pessoal com as caixas de mudanças e o caminhão hoje... O que tem?
-- Você não viu quem é o novo vizinho, né? -- ela perguntou, como se quisesse uma confirmação. Eu somente neguei com a cabeça arqueando a sobrancelha esperando o complemento de sua frase. -- Bom...
-- ela suspirou ela continuou com o suspense.
-- Fala logo quem é, garota!. -- eu alterei um pouco a voz, ela havia me deixado nervosa. Mas mesmo assim, ela não respondeu. -- FALA! -- eu gritei e ela respondeu em reflexo.
-- O HARRY! -- ela gritou também, piscando os olhos fortemente, e depois fixando seu olhar ao meu esperando a minha reação.
A qual eu não tive total controlo, assim que o nome 'Harry' invadiu meus ouvidos e eu fiz a ligação: 'vizinho' + 'Harry', um flash invadiu minha cabeça, contendo todos os sorrisos de Harry, seu olhar malicioso, suas atitudes reprovadoras, sua voz próxima a mim durante o jogo, as cenas dele se pegando com várias meninas, as vezes que Clayr chorou por ele, as nossas discussões, nossas trocas de olhares, nosso esbarrões pelo corredor da escola, e por último, ele cara a cara comigo, sua expressão raivosa e meu ar vitorioso. Toda a raiva que eu sentia por ele se concentrou eu pensar que ele moraria, praticamente na mesma casa que a minha, e eu explodi em um grito que fez Clayr pular da cama, e que provavelmente fora ouvido por todos do prédio.

-- O que? -- eu perguntei a Clayr, me levantando e pegando meu celular. -- Você tá brincando né? -- ela negou com a cabeça.
-- Pode não ser tão ruim... -- ela começou mais eu a interrompi.
-- Não claro que não. -- eu sorri. -- Vai ser ótimo e nós vamos nos reunir todas quarta- feiras para cantar pintar arco-ires pelos muros da vizinha. PUTA QUE PARIU Clayr! Você só pode estar brincando comigo...
-- Se acalma, amanha a gente conversa sobre isso. Agora que preciso que você pegue aquele remédio alí para mim. -- Clayr apontou a mesinha de seu quarto; eu respirei fundo e tentei me acalmei, dei o remédio a ela, e nós conversamos procurando nos distrair de como nossas férias haviam começado bem. Não demorou muito para Clayr pegar no sono. Eu saí do quarto dela sem acordá-la e corri pelas escadas para chegar a minha casa, mas parei na metade dos degraus quanto caiu a ficha de que o Harry seria meu vizinho. Eu me sentei sentindo minhas pernas bambearem e meu sangue ferver. 

Não podia ser verdade.  Harry é o tipo de garoto perfeito, os pais dele são ricos, ele estuda comigo e a Clayr. É o tipo famosinho da escola Pega todas é óbvio, seus cabelos tem cachos nas pontas mas é liso, meio bipolar digamos, tenho que admitir, o garoto é lindo, olhos verdes, perfume embriagante, é gostoso, dono de um lindo sorriso com covinhas cativantes. Quem eu quero enganar, não é mesmo? Ele é um puta de gostoso, tem os olhos mais perfeitos do mundo, um perfume que me deixa tonta, e o sorriso.. bom o sorriso é indescritível, a definição perfeita da beleza. Mas para por ai.. eles é só um rostinho bonito, é um galinha, vive bebendo e pegando todas, é fútil, e se acha por ser riquinho. Sinceramente ele é lindo mas não vale nada. A questão é que eu já tenho que aturá-lo na escola e agora em casa também, eu não vou aguentar, vou explodir. Será que da pra entender que nós nos odiamos? Que não da pra  ficarmos presos no mesmo luga?  Ele faz mal a minha minha melhor amiga, e a todas garotas que ele fica, machuca as pessoas, e despreza a todos por se achar superior. É o pior tipo de pessoa que existe, e vai morar ao meu lado. 

A minha cabeça doía como nunca, meu coração palpitava e eu sentia minha garganta fechar aos poucos, nunca tinha tido tanta raiva de uma pessoa. 
Meus ouvidos captaram sons do apartamento de Harry. Ótimo. A porta entre-aberta permitia que eu ouvisse a risada rouca de Harry, conversando com alguém no celular. Ouvi algo sobre festa e alguns comentários maliciosos de sua parte.
 Ele parou de falar, e eu deduzi que tivera desligado, então eu entrei no apartamento dele, abrindo a porta com toda força, e já começando o escândalo.
-- Não vai me chamar para festa "Styles"? -- meu sangue fervia, minha garganta queimava eu queria realmente mata-lo. Eu só conseguia pensar em como ele pode fazer isso com a Clayr.  Ela não tinha nada haver com nós,ele tinha que ter tirado satisfações comigo e não com ela. Ele sabe como ela é uma garota frágil, não gosta de se meter em confusão e é tímida as vezes, ela gosta mesmo dele, e ele ainda teve coragem de fazer essa filha da putagem. Ficar com a garota que ela meia odeia só para magoá-la e me irritar.  Idiota.  Mas ele tinha conseguido. Dessa vez ele teria o que pediu.
-- Quem pensa que é pra entra assim na minha casa? Você se acha não é, mas fica sabendo que...
-- Cala a Boca! -- berrei-- Fica na sua, que agora você vai ter que me dar um bom motivo pra eu não te meter um tapa no meio da cara. -- eu tomei ar. -- Por que fez isso? ein? Você deixou ela mal, e ela não tinha nada haver com a história, você não podia ter feito isso, seu canalha! Cachorro!-- meus olhos lacrimejavam eu prestes a chorar de raiva, por causa desse babaca. E ele nem ligou. Ele se dirigiu a janela e parou.
-- De quem você ta falando ein? E a propósito... a festa, era mais particular, sabe...? Eu eu a Mandy. -- ele sorriu de lado -- Acha uma boa? -- ele ria e eu não aguentava mais me controlar.
-- Acho que vou chamar ela agora mesmo. -- ele continuou a provocação. Sentou-se na janela que dava para os fundos do prédio onde havia a enorme piscina de lá. Ele se ajeitou e voltou a me olhar. -- A Mandy ta na casa da Tia, alí em cima... Você sabe. -- ele riu sabendo o quão brava eu estava. Ele gritou a Mandy me fazendo avançar para cima dele. 
-- Shiu! cala a boca garoto, mora mais gente aqui, vai acordar todo mundo, seu retardado! -- Eu coloquei minha mão em sua boca abafando seus gritos, fiquei na ponta do pé para alcança-lo já que a janela o deixava mais alto. Mas ele não parou. ele continuava a tentar gritar e tirar minha mão de seu rosto. Eu lutava contra os braços dele segurando e puxando o meu.
--Harry fica quieto! Você vai cair. -- eu voltei a falar e ele com mais força que eu, me puxou envolvendo uma mão em minha cintura e se jogando da janela. 

Se você acha que nós morremos com a queda, eu digo que seria melhor assim, nosso prédio não era tão alto. O segundo andar menos ainda, nós caímos exatamente na piscina. A queda não foi tão alta. Nós mergulhamos juntos.  

Quando voltei a superfície, eu queria matá-lo mas ele começou a rir, rir muito, e eu não aguentei e o acompanhei. Nós riamos descontroladamente. Ai eu me toquei de que estávamos fazendo muito barulho.
-- Shiiiu! Ri baixo. -- eu falava entre risos.
-- Tudo bem -- ele respondeu, e essa foi a primeira  vez que concordamos um com o outro.
Assim que o ataque de risos passou eu o encarei, seus olhos verdes eram mesmo muito lindos. E eu voltei a rir levando Harry a rir comigo de novo, e nós reiniciamos nossa sessão de garalhadas. -- Como assim nós caímos? -- ele disse entre risos. 
-- A gente podia ter morrido. -- eu arregalei os olhos. 
-- Nãão. -- ele sorriu em uma careta. -- Nós sabíamos que tinha a piscina. 
-- Então você me puxou de propósito? -- eu lhe lancei um olhar mortal. 
-- Meio que sim. Você queria me matar-- ele deu um sorriso amarelo.
-- Digamos que eu tenha meus motivos. -- eu respondi jogando água nele. ele riu bobo. 
-- Vamos sair Harry, alguém pode ouvir. -- disse me virando para sair, mas ele puxou meu braço.
-- Não! Vamos ficar! -- ele me encarou rindo com um brilho diferente nos olhos. 
-- Não podemos, retardado, esta muito tarde meus pais me matariam se soubesse que estou na piscina com Harry Styles as... -- olhei no relógio -- 2:45 da manhã. -- completei a frase rindo e encostando na parede da piscina.
-- Ah vamos! Eu quero nadar! --O jeito dele falar me dez rir, ele mergulhou. E eu boba, fui atrás.
-- Gay -- disse antes de mergulhar o seguindo.
Nós ficamos um pouco ali.
-- Nós somos loucos! -- ele disse -- Caímos da janela, em uma piscina as 2 da manhã,e estamos nadando juntos como se fossemos melhores amigos. -- iniciamos uma nova sessão de risos estéricos.
-- Você é o louco, foi você quem me fez cair na janela. -- eu ri jogando água em seu rosto. ele riu também me jogando água e dizendo que foi minha culpa por ser tão estressadinha. Nós iniciamos uma guerrinha d'água, até eu mergulhar e puxar os pés de Harry. Fazendo ele perdeu o apoio e engolir um pouco de água. Eu voltei a superfície rindo muito e ele me fez cócegas. 
-- Para! -- eu batia nele enquanto ria e me engasgava com as cócegas que sofria. Harry ria comigo e parou as cócegas. Eu voltei a respirar agradecida. Nós riamos como crianças. Como amigos.
-- Vai acorda alguém com essa gargalhada escrota!-- Ele disse se aproximando.
-- Sua risada é pior. -- eu disse dando ombros. Ele se aproximou mais um pouco e levou a mão até minha cintura. Eu acompanhei o movimento com os olhos, e quando voltei a olhá-lo ele estava mais próximo que eu imaginava. 
-- O que você ta fazen...? -- Eu comecei a dizer mas me perdi nas palavras. Ele me olhava nos olhos e o sorriso inocente em meus lábios foi sumindo aos poucos. Harry apertou sua mão em minha cintura fazendo uma leve pressão para que eu me aproximasse dele e uma de minhas mão foi até seu braço segurando-o fortemente. A mão livre de Harry puxou minha nuca a seu encontro, eu mergulhei na imensidão de verde que eram seus olhos e me deixei levar. Os lábios quentes e macios de Harry fizeram pressão contra o meu em poucos segundos dei passagem para sua língua ir de encontro a minha acariciando-a e fazendo as borboletas em meu estômago acordarem. Quando eu já respondia o beijo Harry sem aviso algum me puxou para um mergulhos, nos ajoelhamos no fundo da piscina. A mão dele passeava pelas minhas constas e quando meu pulmão começava a pedir por ar Harry tomou impulso me levando de volta a superfície. Onde meus lábios continuavam pousados sobre o dele e a mão dele passeava por minhas costas causando arrepios por todo meu corpo. Merda. Eu tinha beijado Harry Styles, e estava muito bom. Desgrudamos nossos lábios mas continuamos colados um ao outro. Apenas trocando olhares. Eu procurei dizer algo, mas Harry me impediu, me puxando mais pra si e me beijando novamente. Aquilo era muito bom, os choques que corriam por meu corpo despertavam sentimentos desconhecidos e vontades inesperadas. Eu o queria para mim. Queria seu beijo, mais e mais.
-- Quem está ai? -- separei-me de Harry rapidamente e ele me olhou, eu fiz sinal negativo com  cabeça e nos escondemos na borda da piscina onde não dava pra ver do alto. Era a voz da Clayr. 
-- Merda. -- sussurrei.
-- É a Clayr né? -- ele perguntou o óbvio e eu assenti com a cabeça. -- Será que ela viu? -- Ele não estava ajudando.
-- Eu estou morta! --
-- Porquê?
-- Ela.. ela é minha melhor amiga Harry! Eu fiquei com o cara que minha melhor amiga é afim. Eu sou uma fodida! -- levei as mãos até a cabeça.
-- Hey! -- ele agarrou minhas mãos. -- Não é verdade. Aconteceu, e eu gostei -- ele sorriu de lado -- Muito... -- Sorri timidamente de volta.
-- Mas não é certo -- balancei a cabeça desfazendo o sorriso. -- Eu não posso.
-- Você pode, pode o que quiser, você não quer, é diferente. -- Ele disse com um tom de tristeza na voz.
-- Não! -- Ele me olhou. -- Eu gostei... muito, mas é que... Você não entenderia, é difícil, ela gosta de você e.. -- ele me interrompeu.
-- Você se arrepende? -- Eu não respondi e olhei para baixo, eu não me arrependia, mas não podia fazer isso com minha melhor amiga. -- Se arrepende. Ele afirmou e olhou em meus olhos. Então ele se virou saindo da piscina.
-- Harry espera! -- disse saindo também. --Espera! Ele entrou em casa, e foi para seu apartamento. E eu fiquei ali em choque. Parada por alguns minutos. Até um barulho no jardim me despertar. 
Olhei par trás procurando algo e não vi nada.  Então eu subi pra minha casa e fui tomar um banho quente. Fiquei pensando. Na loucura que eu fiz, eu fiquei com Harry Styles, o cara que até horas atrás eu odiava, e que agora estou chorando pensando no mesmo. Como eu fui burra de fazer isso, com a minha melhor amiga. Comigo! Eu sei que pra ele não significou nada. Eu só consegui estragar minha vida, provavelmente minha amizade de anos com a Clayr vai acabar, isso para eu deixar de ser trouxa.
 Chegou um sms, pisquei e olhei a tela, número desconhecido.

Não quero estragar a amizade de vocês, não contarei nada há ninguém, agora depende de você.

                                                                                                                                                                                xxHarry

Ninguém viu, então se nem ele, e nem eu contarmos, a Clayr não saberá, isso ameniza as coisas.Bom, isso é bom. Eu disse mim mesma. Era só esquecer, ignorar e ficaria tudo bem. Tirando o fato de eu agora estar sentido algo que nunca senti, pelo Harry.


...

Novo dia! Acordei e voltei para a cama depois do café. Primeiro dia de férias e eu já to assim. Aconteceu muita coisa ontem. Muita coisa estranha, que eu acho que foi um sonho, melhor, pesadelo... Ou eu fiquei mesmo com Harry? É merda! Não foi sonho. Aconteceu mesmo, eu me sinto um lixo, me sinto culpada. Arrrrg! Mas foi bom, não teve nada melhor, foi diferente, foi divertido, e sei lá. Eu não sei descrever o que estou sentindo. Só sei, que sinto. E e pesar de tudo é bom. É muito bom, um sorriso bobo surgiu em meus lábios. 
Mas logo foi arrancado de lá pelo grito de minha melhor amiga entrando no quarto.
-- Ah! -- A Clayr entrou, gritando, desesperada. 
-- Que houve?-- 
-- Sua falsa! Falsa! -- Ela gritou comigo. Harry filho da puta! Ele contou! Ele disse que não contaria. -- Idiota, filha da mãe!
-- Calma! Eu posso explicar! --
-- Não! Não pode não. Você pode me ouvir, Você vai me ouvir, sua falsa. Como você pode (Seu nome) ? Como pode?  EU CONFIAVA EM VOCÊ! -- ela gritava e chorava. E eu também começava a chorar, ela tinha razão eu tinha feito merda e estragado tudo.-- Você ... Você dizia... dizia que o odiava! Vocês viviam brigando! Brigaram ontem á noite. E resolveram fazer as pazes, se beijando (seu nome)? É isso? Eu confia.. eu confiava em você, e você se agarra com o cara que eu amo! Sua vadia.
-- Vadia não!-- eu gritei de volta. -- A única vadia aqui é você! -- eu levantei a encarando, sua expressão era superior.--  Eu errei, você tava certa! Eu errei, mas quem deu para o Fernando atrás das escada do colégio não foi eu. E quem transou com os dois irmãos na festa do Mark, também não foi eu. E você pode ser minha amiga, mas as suas atitudes não são exemplares para me xingar desse jeito.
-- Sua traíra! Você fica com o garoto que eu amo, e vem me jogar isso na minha cara? Você é uma.. uma falsa! Eu nunca imaginei que você pudesse fazer isso (Seu nome)! Eu imaginei isso de qualquer uma. Qualquer uma! -- Ela gritou-- menos de você! Bem debaixo do meu nariz. -- ela cuspia as palavras com desgosto. 
-- Para com isso. Você não o ama! Ele não era seu namorado! Não era nada seu! muito pelo contrário você é só uma iludida que achou que algum dia fosse conseguir o garoto mais bonito da escola pra fuder com você a hora que quisesse. Mas você tava errada, sua tonta! Ele nunca te deu bola, nunca nem quis ficar com você. Ele ficou com você por que estava bêbado e não tinha opção melhor, ou você não lembra que antes de chegar em você ele tentou até comigo? Acorda Clayr... ACORDA! Pare de ser iludida! Pare de achar que existe príncipe encantado por que não existe! Ele não gosta de você. Para de dar pra qualquer um por que não tem nada melhor! Você ta se tornando uma vadia sua burra! E eu não vou deixar você vir aqui e falar essas coisas comigo, não vou deixar você me fazer sentir culpada por tudo que aconteceu. Por que eu não tenho culpa dele ter tentado me beijar e de eu ter correspondido. Sim eu deixei, eu deixei que ele me beijasse eu fiquei com ele e pior, eu gostei. É! Eu gostei, ele me faz bem, por mais irônico que pareca eu o conheci e em pouco tempo ele me conquistou como ninguém, e me fez sentir coisas que eu nunca senti antes, e que eu tenho certeza de que você não sente por ele. Por que eu vejo, Clayr, eu sei o que você sente por ele, e não é nada mais que atração, você acha ele atraente, você deseja ele, você que sexo, por que ele provoca isso nas pessoas. É o jeito dele, sedutor e aproveitador, e você só que isso, você não o ama, você não quer passar todo tempo com ele, os seus olhos não brilham quando você o vê, o seu coração não palpita, e você não fica sem ar, por que você você o deseja, sim, como eu o desejo. -- eu me aproximei dela pra dizer a última frase entalada em minha garganta. -- E por mais louco e improvável que seja você não o ama, como EU o amo. -- Eu suspirei aliviada por dizer tudo que precisava a tempos. 
-- CHEGA! Chega! você já disse o suficiente. -- eu fechei os olhos deixando as lágrimas caírem. Clayr passou por mim ainda dizendo. --  Eu não preciso ouvir mais nada. A Sua irmã tem razão! Eu nunca devia ter confiado em você. -- Ela saiu batendo a porta.

A minha irmã. Foi ela. A minha meia irma que veio passar as férias comigo.  Aquela cobra, ela viu e contou para Clayr. O barulho que eu ouvi agora tudo fazia sentido. 
 Foi pior que eu imaginava! Eu falei demais! Não devia ter dito tudo isso a Clayr. Ela precisava ouvir e eu precisava dizer, mas foi na hora errada. 

Eu estava prestes a sustar naquele quarto.

Quando meu irmão, Kyle, entrou no meu quarto e sentou na minha cama ao meu lado. 
Eu o olhei, e ele estendeu os braços, o abracei fortemente e chorei. Chorei tudo o que tinha pra chorar, e depois contei tudo a ele, sobre o Harry, a briga, que ele e todos do bairro evidentemente souberam de tudo. Ele me deu conselhos, disse que minha 'irmã' já tinha ido para sua casa novamente, afinal ela mora com a prima,  disse também que por sorte todos os adultos do prédio tinham saído para reunião do mês. Eles não ouviram, ainda bem. Mas o que mais me chocou foi que Kyle, disse que quando a Clayr saiu daqui, ela contou para ele que estava indo morar com a mãe. Eu realmente destruí a minha vida, e de quebra a vida da Clayr. 
Eu perdi minha melhor amiga. 
E por algum motivo, algo em meu consciente dizia que isso poderia não ser tao ruim.

Eu passei alguns dias,  assim, no quarto sem comer nada, só falava com o Kyle, e com minha avó. Foi quando eu resolvi levantar, e voltar ao normal. 
A vida continua. Meus pai disse  que fari uma mini viajem durante o fim de semana, sairia na sexta e voltaria no domingo. Eu não quis ir, Kyle também ficaria, e estava dormindo no momento, então eu desci para despedir-me de meu pai, e fiquei encarando a piscina.


Assim que meu pai saiu, não demorou para eu me jogar no sofá agarrar uma almofada e voltar a fazer o que eu fiz todos esses dias... Pensando.

 Não faz sentido. Eu achei que fosse uma zé ninguém para o Harry.  
Ele passou dos limites, ficando com a Mandy, para provocar a Clayr, e eu fiquei com muita raiva disso, minha vontade era matar aquele garoto, e com isso, nós acabamos caindo da janela do quarto dele, e indo direto para piscina.
 Nós parecíamos duas crianças, e ali eu vi quem era o verdadeiro Harry, ele é uma pessoa totalmente diferente do que aparenta ser, é divertido, e bobo, lindo, tem covinhas que dão vontade de apertar, e com ele... foi a primeira vez que que eu pude ficar sem usar a minha máscara de durona; para defender meus amigos ou a mim mesma... Eu fui sincera, não me divertia assim há tempos, e depois, O beijo, aquilo foi... foi um tanto quanto eu não sei o que dizer sobre isso. 
Por que foi como se mil e uma borboletas invadissem meu estômago para uma reunião, as minhas pernas não me respondiam, foi tudo involuntário, e eu ainda não entendo por que fiz aquilo uma segunda, e uma terceira vez. Mas isso tudo teve uma consequência, a minha amiga, bom ex melhor amiga, resolveu brigar comigo, e  com razão, mas ela me chamou de vadia, e eu não deixei barato, infelizmente eu sou assim, eu não levo desaforo para casa, mesmo estando errada. 
Ela estava certa, no começo, eu não devia ter ficado com o Harry, mas única vadia da nossa amizade era ela, e eu deixei isso bem claro, na hora errado eu acho, mas não me arrependo, eu acebei dizendo tudo que estava agarrado na minha garganta, botando tudo para fora e isso foi bom, mas eu estou magoada, pelo fato de que perdi minha amizade por causa de um galinha, que pode ter sido diferente aquela noite, mas que vai sempre ser o mesmo pegador Styles, e que nunca vai parar em uma garota só, Eu não me arrependo de ter ficado com ele e perdido minha 'amizade', faria tudo de novo, mas eu tenho medo, medo do que estou sentindo. 
Por que para o Styles eu fui só mais uma, mas ele mexeu comigo. E isto esta me matando.

Agora eu estou aqui, jogada no sofá da minha sala, pensando na bagunça que esta a minha cabeça. Com a confusão acabei deixando a porta do apartamento aberta, levantei para fecha-la, e avistei a porta do apartamento da frente, também aberta, então eu vi, o Harry se agarrando com uma garota, Loira, alta, e... Mandy é claro.
 Mas agora ele vai ouvir!  Entrei no apartamento dele como da última vez, empurrando a porta com força e vendo melhor a cena.


-- Você não vale nada mesmo não é? -- ele separou da Mandy e me olhou. A garota foi pro lado torcendo o lábio e eu fiz cara de nojo. -- Pode sair querida! -- disse a Mandy, que puxou o Harry e o selou, passando por mim com um sorriso de puta em seguida. Dei um tchau zinho seguido de um sorriso e fechei a porta.

-- Olha, cada um tem o seu jeito de ser, cada um haje como quiser, e não deve satisfação a ninguém, mas você sempre me incomodou, por que sempre foi um canalha, um galinha, pode ter a garota que quiser, a hora que quiser, e sem que ninguém te impessa, você nunca passou por dificuldades financeiras, seus pais te sustentam e você mora sozinho, tem a vida que todo adolescente quer ter, sem regras e nem ninguém para encher o saco, e isso é legal, eu sempre quis isso, minha família passa por problemas todos os dias, a única pessoa que presta naquela casa é o Kyle, meu pai é um bêbedo, e minha mãe nem se quer lembra que eu exito, minha avó já aposentando e não tem muito em que ajudar. 
Você tem a vida que eu sempre quis ter, mas eu não trocaria de vida com você por nada, NADA! Sabe por quê? Por que você apesar de ser lindo e ter tudo que quer, não tem amor, não tem carinho, você só pensa em si mesmo, todas as garotas ficaram com você por você ser rico e bonito, ou você acha que elas conhecem o Harry que eu conheci naquela noite? Não,Harry,não! 
Elas não gostam de você, e as que gostavam... elas viram como você as fez mal e encontraram outros garotos melhores.
Você só pensa em si mesmo, as pessoas ficam com você por popularidade e dinheiro, é legal ser assim? É legal conseguir quem quer não pelo que você é, mais sim, pelo que você tem? Por que eu não acho isso bom, eu nunca gostaria de ser assim como você. Por que você não se importa com a realidade, você vê isso tudo, mas não liga, se você estiver bem, nada importa, o resto é que se foda, e ninguém se importa com você também, não de verdade.
 Mas sabe de uma coisa? Eu sou uma garotinha problemática, que não é gostosa nem tem dinheiro para ir ao salão duas vezes ao dia, mas eu vi quem é você, eu sei quem é o verdadeiro Harry, e eu fui idiota o suficiente para me apaixonar por ele! E apesar de tudo, eu não sou boba como as outras, e não vou me deixar me levar por esse Harry. Esse Harry que todos conhecem e que eu tenho nojo. -- Eu estava chorando, mas controladamente, meu coração batia a mil.
-- Você é louca não é? Como você invadi minha casa desse jeito pra me falar essas coisas? -- Ele andou até a porta, eu o segui, ele entrou na minha casa e foi até porta do meu quarto.
-- O que ta fazendo? -- Perguntei, enquanto ele mexia na maçaneta do meu quarto.
-- Pronto!-- Ele disse levantando e sorrindo, -- Consegui. --
-- O que consegui, maluco? --
-- Sua porta não abre mais, -- ele sorriu novamente,
-- Ta, parabéns você conseguiu me deixar sem porta. -- Sorri de volta.
-- Não exatamente, a sua porta não abre por dentro, só por fora, -- ele concluiu.
-- E dai?  A única coisa que você conseguiu foi fazer com que meu irmão me veja trocando de roupa a partir de hoje. -- Ele riu.
-- A única coisa que eu consegui foi fazer você ficar quieta no seu quarto, para eu terminar a minha festinha, sem que você invada minha casa pela terceira vez.
-- Agora, só falta eu entrar ai e fechar a porta, o que não vai acontecer. -- disse cruzando os braços e sorrindo.
-- Não? -- Ele sorriu com más intenções. -- Não mesmo?
-- Não -- respondi me afastando ao perceber que ele se aproximava.
-- Certeza? -- ele disse já me pegando pela cintura e me colocando em seus ombros.
-- Me solta! Me solta! Harry para! Me poe no chão seu idiota. -- Eu gritava e batia fortemente em suas costas. Ele me levou para o quarto, então eu dei um tapa em suas costas tão forte que doeu minha mão. ele me largou na cama.
--Ai! -- ele gritou se esquivando.
-- Bem feito. -- Mostrei a língua.
-- Quem da língua pede beijo, maluquinha. -- Ele riu.
-- Idiota. -- Eu disse rindo. 
-- Agora eu vou ter paz. Divirta-se maluquinha. -- Ele virou as costas saiu do quarto e fechou a porta me trancando.
-- HARRY! -- Gritei. -- ABRE ESSA PORTA HARRY! EU NÃO TO BRINCANDO! ABRE A PORTA!
-- Não. -- ele respondeu já distante, e eu ouvi uma porta batendo provavelmente a do apartamento.
-- KYYLE! --comecei a chamar. - KYLE! KYYYLE! SOCORRO! EU TO PRESA NO QUARTO! KYLEE! ME TIRA DAQUI! -- minha garganta já doía de tanto gritar, pra me tirarem dali. Depois de uma meia hora berrando, eu desisti, sentei na minha cama e chorei, eu tenho chorado muito ultimamente, e isso me irrita. 
Fui até a janela, e fiquei olhando a piscina, eu gosto muito de nadar, é a única coisa que faço quando estou no tédio, ou então ouço música, mas estou muito perturbada para ouvir música no momento, e meu celular esta na sala.
-- O Harry me paga. -- Disse ainda olhando a piscina. Então eu tive a brilhante ideia de pular. Eu queria nadar mesmo, não seria má escolha, mesmo que já estivesse á noite, iria me ajudar. Coloquei meu biquíni, escroto, eu odeio biquínis, queria poder bani-los da face da terra, mas tenho que usar. Tomei folego e pulei. Eu fiquei sozinha ali, mergulhando, me sentindo melhor, eu tava mais calma, relaxada. Poderia até dormir se tivesse um colchão de ar.
Mergulhei novamente e ao voltar a superfície, meu coração acelerou-se novamente.
 Minha vontade era mata-lo, mas cansei, já disse tudo o que tinha para ser dito e agora a solução era ignorá-lo.
--Oi-- ele disse levando a mão na nuca.
-- Por favor, não me enche. -- encostei na parede da piscina e joguei a cabeça para trás.
-- Desculpa. -- Ele disse. Mas eu não respondi, apenas o olhei e ficamos nos encarando por alguns minutos. Silêncio total, eu podia ouvir sua respiração. E depois de um tempo eu respondi:
-- Pelo que?
-- Por ser um idiota, por tudo! Por ter estragado a sua amizade e... -- Eu o interrompi, neguei com a cabeça.
-- Você não estragou minha amizade. Aquilo nem era uma amizade verdadeira e você me fez ver isso. Eu que agradeço.
-- Não. (seu apelido), escuta eu tava errado, o tempo todo, a vida toda, você tem razão mas eu quero mudar. -- Ele me chamou de (seu apelido)? Que isso? Como ele sabe esse apelido? É só para os íntimos.
-- Então boa sorte. -- Respondi indiferente.
-- Quero começar, minha 'mudança' sendo eu mesmo com todos, assim como você me conheceu aquela noite, quero que todos saibam quem eu sou.
-- Isso é legal. Mas eu não tenho nada haver com isso. -- Disse o olhando.
-- Tem sim. -- ele deu um passo a frente. -- Quero mostrar a eles que eu mudei, mas pra isso vou precisar da ajuda da garota que mexeu comigo, da pessoa que esta na minha frente, e que eu estou me esforçando o máximo para não agarrar, -- ele riu. E depois dessa eu também não segurei o riso.
-- Ficou louco? Acho que tá falando com a garota errada. -- Disse ainda rindo.
-- Não tô não. To falando com a garota que estou com medo de pedir em namoro. -- Ele sorriu e se aproximou mais.
-- Bateu a cabeça na hora de mergulhar Styles?
-- Não. Eu quero essa garota como minha namora, só pra mim, mas ela parece ser bem difícil.
-- Essa garota está apaixonada pelo cara mais idiota e bobo do mundo. -- eu sorri ele também. Ela andou até mim e envolveu seus braços em minha cintura.
-- Então acho que sou o bobo, idiota mais feliz no momento. Mas não se esqueça do lindo, gostoso, perfeito e dono do sorriso mais lindo do mundo. -- ele sorriu e inclinou-se para o beijo. Esquivei-me para trás.
-- E convencido -- disse colocando a mão em seu peito.
-- E que está prestes a beijar a garota que ama. -- Ele disse e eu sorri, então ele colou nossos lábios, e eu senti as idiotas borboletas novamente. Nós ficamos, nadando e curtindo por um bom tempo ali, até ouvirmos um barulho. Provavelmente era Kyle, ele me mataria se soubesse que eu estava na piscina com o Harry a essa hora.
-- Estamos ferrados. -- eu disse saindo da piscina.
-- Por quê? -- ele disse saindo também.
-- É o Kyle, ele vai me matar se me ver aqui. -- Eu disse sem saber o que fazer morrendo de medo, se ele contar para meus pais eu morro.
-- (seu apelido) -- Eu ouvi logo atrás de mim eme virei ficando de costas para o Harry e de frente para o Kyle. -- O que faz aqui com essa moleque a essa hora? -- Harry ficou do meu lado.
-- Kyle, eu osso explicar, nós estávamos... -- Harry me interrompeu.
-- Kyle... é que hoje, mais cedo, eu briguei com sua irmã, e agora nós nos acertamos, e eu a pedi em namoro... -- ele ia continuar mas eu interrompi.
-- Harry ficou louco?
-- Fica quieta (seu nome) -- Kyle e Harry falaram ao mesmo tempo. Joguei as mão para cima em sinal de rendição.
-- Então vocês estão namorando? -- perguntou Liam sorrido, Sorrindo, Sor-rin-do. Que?
-- Sim. -- Harry confirmou, envolvendo minha cintura. Eles riram e eu fiquei boiando, achei que Kyle fosse me matar. E ele ri e ainda fica conversando com Harry, esse garoto é maluco. Eu ri.
-- Vou tomar banho, seus doidos. -- Disse correndo para casa.

xx

A minha vida esta totalmente maluca, eu estou namorando com o Harry, meus pai aceitou na boa, o que me deixou em choque já que eu já planejara o enorme decurso para pedir permissão, o Kyle ta super amigo do Harry.  Um amigo do Kyle chegou aqui em casa, ontem, pra eles fazerem um trabalho ou sei lá. Mas meu irmão tava no banho e o garoto ficou esperando meu irmão assistindo TV ao meu lado. Mas o Harry chegou e teve uma crise de ciúmes. Nós brigamos e eu me tranquei no quarto.

flasback on 


Abri a porta e dei de cara com um buquê de flor sendo segurado por um ser de cachos, -- Eu ri e peguei o cartão. Abri e li em voz alta. 
-- Desculpa! -- Eu peguei o buquê das mão do Hazza. Ele sorriu envergonhado. 
-- Desculpa? -- ele riu. Eu assenti e ele me puxou para um beijo me empurrando para dentro e fechando a porta com o pé. Nós paramos na cama, onde eu coloquei o buquê e continuei a beija-lo. -- Espera. -- ele disse afastando-se um pouco. Ele pegou a argolinha da etiqueta do buque de flores e disse: 
-- Namora comigo? ... De verdade ? Ele completou. mostrando a 'aliança'
-- Bobo -- Eu disse a afirmei coma cabeça. Ele colocou a aliança no meu dedo e eu fiquei rindo igual uma idiota enquanto ele dançava comemorando. 

flasback off. 



Acabou rolando, e hoje de manhã eu acordei com uma bandeja de café da manha e um namorado, rindo igual a um bebê. Ele tirou uma aliança dessa vez de verdade do bolso, e me pediu em namoro pela terceira vez. Nós almoçamos e depois o Harry subiu.

Agora eu estou sentada na beira da piscina, é noite e eu to com os pés na água olhando a lua e pensando em tudo que aconteceu. Eu me lembrei de quando cai da janela com o Harry, de quando nos beijamos, de quando brigamos e depois fizemos as pazes, é uma historia muito louca, eu posso até não casar com o Harry, mas quando eu tiver filhos irei conta-la a eles.
-- Pensando em que senhorita Styles? -- Harry sentou do meu lado, ele me selou e eu ri.
-- Estava pensando em nós. -- Ele riu assim como eu.
-- Essa piscina contribui bastante. -- ele concluiu me fazendo gargalhar.
-- Eu estava pensando em escrever nossa história para meu filho. -- Disse brincado.
-- Agente conta pra nossa filha, quando ela fizer seis anos. -- Ele disse sorrindo igual um bobo enquanto olhava o fundo da piscina. Eu olhava sorriso como uma idiota.
-- Que foi? -- Ele disse olhando para mim com uma careta. Eu sorri mais e o beijei. Ele me puxou caindo na piscina.
-- Harry! -- gritei rindo. -- Ta tarde!
-- Não tem problema, ele me rodava rindo na piscina.
-- Você não tem juízo.  -- eu disse rindo. Na verdade eu não conseguia parar de rir quando estava com ele.
-- Nós não temos juízo-- ele concluiu novamente. Eu o abracei e nós ficamos andando lentamente pela piscina.
-- (seu apelido)?
-- Hum? -- Respondi sem desabraça-lo.
-- Te amo. -- Ele disse beijando meu pescoço, e fazendo um imenso sorriso tomar meus lábios.
-- Também te amo. - eu disse olhando em seus olhos.
-- Muito! -- ele continuou e me beijou.






FIM....

Ausuahdausd e ai pessoas? Eu realmente sonhei isso. E só explicando que esse imagine já foi postado no meu blog, mas ele esta modificado e melhorado... Emfim espero que vocês gostem... Eu sei que eu nao tenho postado, eu tinha parado, por que ninguém lia, comentava e enfim, mas resolvi deixar pra la e postar do mesmo jeito, por que eu amo escrever e sei que tem duas pessoas que leem. É isso Estou voltando a postar  a partir de hoje. Mas só aqui. 

Comentem por favor. Vocês me deixaram felizes... 
Vlww
xxlet 

17 comentários:

  1. IMAGINE PERFEITO PAKAS MANOOO <3 <3
    TO VOMITANDO ARCO-IRIS!!!
    AMEI<3
    ~Belle

    ResponderExcluir
  2. Eu ja li esse imagine em outro blog mas mesmo assim tah perfeito *--*

    -Tori

    ResponderExcluir
  3. Perfeito.Faz um pra mim do Liam com meu Nome(Iorranny) fofo

    ResponderExcluir
  4. laynha cavalcanti25 de maio de 2014 18:57

    eu imagine é toooooooooop. não pare de postar!!! i love you

    ResponderExcluir
  5. Ficou perfect.Sou nova leitora aqui.Fofa faz um mini imagine pra mim com o Harry?.Me chamo Gabriela Poeta Ramones Porto,sou roqueira,ando de skate,toco violao,e tenho uma banda.E tenho 14 anos.

    ResponderExcluir
  6. Esse imagine e perfeitooooo.......um dos melhores q ja li

    ResponderExcluir
  7. Amei o imagine, simplesmente um dos melhores que eu já li, totalmente perfect <33

    ResponderExcluir
  8. VOCE ESTA DE ZUERA COMIGO??? Esse é o imagine mais perfeito que eu ja li !!!! Parabéns...minha nota é 100000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000 (eu queria dar mais) continue assim...perfeita...fazendo essas maravilhas u-U<3

    ResponderExcluir
  9. Por favor eu pesso eu sou grande fa dos seus imagines. faz um pra mim por favor meu nome e joyce apelido joyce e eu sou divertida pegadora romantica igual ao harrry eu queria muito q pudesse ter um imagne com meu nome e o harry styles

    ResponderExcluir
  10. Pfft <3 simplismente um dos melhores que eu ja li

    ResponderExcluir
  11. :) P-E-R-F-E-I-T-O! <3 Erros de escrita..mais isso é normal,né..kk Sério! pft!

    ResponderExcluir